Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \22\UTC 2010


Vi hoje o filme e até acho que existe um realizador competente ali por trás; o filme tem seu ritmo bem instaurado e algumas cenas são bem construídas. Mas acho que falta algo; na real, acho que falta muito. Acho o filme extremamente sem graça, sem sal. Devo dizer que isso não vale para o Clooney, que está ótimo, apesar de estar numa espécie de padrão, ou piloto automático, mas isso me parece ser culpa do filme.
Duas coisas, em especial, me incomodam bastante e acho que ambas vêm de uma vontade do Reitman de se afirmar como um realizador com algo mais, um autor e não um “simples” artesão.
A primeira coisa: o filme está cheio de cenas onde personagens discutem sobre relação, amor, opção pelo casamento ou pela solidão e o que isso quer dizer psicologicamente; ou seja, o tipo de questão e diálogo que vemos muito em comédias românticas americanas. Sinceramente, nada contra situações clichês se elas estiverem em cenas bem construídas, mas nesse filme vejo uma vontade muito maior de se mostrar “diferente”, de buscar o diálogo, a piada, a sacada que ninguém teve; e a cena, sua construção, sua colocação na narrativa, parece ficar, por vezes, um pouco esquecida.
A segunda coisa: o final “diferente” com o personagem de Clooney voltando para a mesma posição de quando a narrativa começou. Pra mim não cola com como tudo é construído, toda a narrativa do personagem é aquela coisa bem básica do fanfarrão que não quer compromisso percebendo a importância da família, do amor, da estabilidade… Sei lá, achei esquisito.
Ah, lembrei de outra coisa. Acho bem bizarra a construção da relação do casal Ryan e Alex. Porquê do nada o cara tá completamente apaixonado, levando ela pra conhecer a família. Ele não me parece uma pessoa com filosofia de não colocar ninguém na mochila, pelo contrário, parece que ele está procurando uma paixão. Até fiquei pensando se, na primeira cena deles, eles já se conheciam, mas achei que não.
Acho que talvez o negócio seja o Reitman pensar em si mesmo como “apenas” mais um artesão.

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: